Sobre a Mary

Olá, olá!

Bem-vindos a esta minha nova casa!

Isto de ter um blogue era uma ideia que acalentava há trezentos mil anos! Depois de uma gravidez digna de um elefante (que ao que parece ficam nas barriguinhas das mães quase dois anos!… o que se aprende com filhos de 4 anos!) nasceu – finalmente! – o blogue da Mary.

Cada vez acredito mais que tudo tem o seu tempo e este foi o meu. Dificilmente antes teria tido coragem (ou loucura, dependerá da perspectiva!) de tornar públicas coisas que são “muito minhas”. A vida mudou muito nos últimos anos e se há coisa que eu aprendi é que não preciso de um motivo “maior” para fazer aquilo que me faz feliz. Como diz a “colega blogger” Cáh Morandi (ler com sotaque brasileiro sff): “Tem loucuras que a gente só faz com muita maturidade”.

Assim, e independentemente do grau de maturidade (que é mais do que discutível!), da minha inexperiência nestas lides, da eventual falta de qualidade da minha escrita ou do pouco interesse que este blogue possa ter para quem o lê, a Mary tem um blogue.

Mary, sua grande maluca!

Podia apresentar-vos a Mary – esta personagem que me permite soltar a minha veia de “jogador da bola” e falar na terceira pessoa! – mas cada vez mais tenho procurado abolir os rótulos da minha vida. Posso acrescentar, ainda assim, que a Mary é uma mulher na (fabulosa!) casa dos 30, mãe convicta de dois filhos que ama de paixão e com uma profissão que lhe dá imenso gozo.

Mais do que isto, só se revelar que a Mary é um poço de contradições, que consegue ser um pouco de tudo e o seu contrário também… Mas isso são contas de outro Rosário!

Escrevo porque adoro escrever. Escrevo para e por mim, mas também para os meus filhos – que espero que um dia mais tarde não se zanguem por tornar públicos alguns dos nossos melhores momentos! – e para todas aquelas pessoas que, não fazendo a menor ideia, me têm moldado e – quais oleiros! – ajudaram a criar “a Mary”.

Escrevo, portanto, não para quem me lê, mas para quem “me tem escrito”. A mim.

Tenho a perfeita noção que, daqui a alguns anos (provavelmente dias!!!), vou olhar para o que escrevi e a frase “o que é que me terá passado pela cabeça?!?!” será repetida à exaustação. Ainda bem, será sinal de que não estagnei. Só espero ter a clarividência para, nesses momentos, valorizar o percurso e não apenas o ponto de partida.

Não sei onde quero chegar com este blogue, mas sei que o gosto de ter como companheiro de viagem e, enquanto assim for, a Mary andará por aqui.

A porta está aberta para quem nos quiser visitar: é só fazer “like” nesta
página do FB: https://www.facebook.com/bloguedamary.pt

Até já!

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.